A neurociência comportamental na vida pessoal e organizacional

Por: noticias.cancaonova.com

Neurociência comportamental busca compreender mente e consciência humana considerando aspectos psíquicos, cognitivos e intelectuais

André Prado*

A neurociência comportamental procura compreender a mente e a consciência humana levando em consideração aspectos psíquicos, cognitivos, intelectuais entre outros. Esta ciência unida à psicologia comportamental, leva em consideração uma série de emoções, pensamentos e comportamentos dos seres humanos.

Grandes empresas ao redor do mundo têm se beneficiado de estudos da neurociência aplicados aos colaboradores, obtendo funcionários mais felizes, hiper criativos, com elevada produtividade, focados em metas e resultados.

Alguns estudos organizacionais apontam que aproximadamente 87% das empresas demitem indivíduos por problemas comportamentais. Por esse motivo, é importante compreender mais sobre a neurociência do comportamento.

Algumas pesquisas estimam que o funcionamento cerebral desempenhe atividades com 95% do inconsciente e apenas 5% do consciente. Parte do inconsciente pode conter coisas boas ou ruins, portanto, torna-se necessário domá-lo para extrair o que há de melhor.

Entretanto, isto não algo tão fácil de ser feito. Não falta neste mundo aquele tipo de indivíduo que sofre com a distorção da realidade, agindo com a impressionante capacidade achar que está piamente certo embora esteja quase sempre errado em suas concepções. Evite este tipo de parasita que pode roubar boa parte de suas energias.

Certas pessoas às vezes são capazes de exaltar discursos racionais com aparente coerência, mas com o passar do tempo a prática demonstra não eram convincentes devido aos maus resultados alcançados em suas vidas.

Este é um problema que não afeta apenas a vida profissional, pois se constitui uma espécie de confusão mental que habitualmente resulta em problemas, discórdias, discussões, desafetos e sofrimento em geral.

Leia mais
.: Todos os artigos sobre Empreendedorismo

Sabe-se que toda mudança ocorre primeiramente na mente, mas nem todas as pessoas conseguem sair desta espécie de paranóia delirante sem ajuda de um especialista. No entanto, estudos da neurociência podem auxiliar neste propósito, afinal é preciso estar atento às crenças limitantes para eliminá-las.

Lamentavelmente existem seres que são muito influenciáveis, acreditando piamente que o pior panorama é sempre o mais suscetível de ocorrer. Como não conseguem racionar corretamente, absorvem as más vibrações e saem proliferando o pior cenário dito por alguém como se fossem verdades absolutas.

Para piorar ainda mais a situação, não faltam indivíduos maquiavélicos que desejam formatar mentes alheias para que sigam o seu pensar sem questionamentos. Tais dominadores procuram realizar uma espécie de lavagem cerebral para atingir a psicologia das massas.

Para tanto, é necessário despertar o inconsciente para uma reflexão, pois quem não reflete, repete o erro. O princípio da alienação é crer cegamente em fatos sem despertar o senso crítico, questionar, pesquisar, averiguar ou procurar descobrir a verdade.

Quebrando velhos paradigmas

É primordial aprender a quebrar o ciclo da maledicência e saber que é possível produzir com alegria no trabalho, obtendo bons resultados, relacionando-se bem com a maioria das pessoas e atuando com um maior dinamismo.

Porém, é necessário ter foco, dedicação, determinação e disciplina para abandonar velhos paradigmas, pois existem pessoas que absorvem as energias negativas e saem multiplicando tamanha negatividade sem analisar conscientemente os fatos e sem conseguir se desvencilhar desta frequência maligna.

A percepção é particular e intransferível, mas existe gente que simplesmente tende a aceitar as ideias dos outros por comodismo ou preguiça de pensar. Todavia, este tipo de condicionamento determinará o destino de cada um.

Por este motivo é relevante a busca do autoconhecimento e a observação dos fatos por outras perspectivas. Descobrir-se como ser humano por meio da introspecção pode revelar uma poderosa forma de mudar o destino incerto que pode estar sendo traçado pelo inconsciente.

Todos devem estar atentos aos comportamentos daqueles com que trabalham ou convivem para desenvolver laços mais fortes somente com aqueles que podem acrescentar algo de bom às suas vidas. É preciso estar alerta aos relacionamentos escolhidos devido ao fato que estes podem nos afetar emocionalmente, espiritualmente e até fisicamente.

Em suma, é necessário procurar ter uma mente bem treinada, saudável, ativa e produtiva. Buscar a automotivação, a empatia, a gentileza, ter um cérebro repleto de ideais positivos, é fundamental para o aprimoramento contínuo. No mais, cada qual é responsável por suas escolhas que resultarão nas conseqüências do que se tornarão no futuro.

Desta forma, é importante persistir se lapidando como ser humano porque o contrário do sucesso costuma ser conhecido pelo ato de desistir comumente encontrado nos fracassados.

______________________

*André Prado é Mestre em Educação com Menção em Gestão pela Universidad Politécnica Salesiana Ecuador, pós-graduado em Engenharia da Qualidade e bacharel em Administração de Empresas. Desenvolve atividades na Escola de Engenharia de Lorena da Universidade de São Paulo, Faculdade Canção Nova e Centro Universitário Teresa D´Ávila. Para conhecer mais sobre gestão visite o site: www.andreprado.com.br

O post A neurociência comportamental na vida pessoal e organizacional apareceu primeiro em Notícias.

COMPARTILHAR