Aveiro: Diocese procurou «sinais cristãos» e o presépio nos enfeites de Natal

Aveiro, 22 dez 2017 (Ecclesia) – O jornal ‘Correio do Vouga’, da Diocese de Aveiro, foi procurar “sinais cristãos” nos enfeites de Natal, que remetem para a “mais universal das festas”, pelas praças e avenidas dos dez concelhos onde esta Igreja local está presente.

“Os cristãos cristianizaram uma festa pagã, no solstício de inverno, porque a verdadeira luz que não se apaga nasceu na gruta. Ou curral. Se a festa estiver a ficar paganizada, que conserve ao menos um pouco de luz, uma estrelinha”, escreve o diretor-adjunto do jornal ‘Correio do Vouga’.

No percurso pelos dez concelhos da área da Diocese de Aveiro, Jorge Pires Ferreira, encontrou “sinais cristãos” no Natal municipal nos Paços do Concelho de Aveiro numa “Sagrada Família de luzinhas”, outra na rotunda do Hospital Infante D. Pedro, a desejar “Boas Festas”, e ainda mais um presépio em Albergaria, na rotunda junto à câmara municipal.

“E é só. Nos restantes oito concelhos, não encontramos mais nenhum Menino Jesus nos principais espaços”, contabiliza.

O jornalista conta que encontrou “um sinal do Natal do Menino” junto aos Bombeiros da Murtosa, com a representação de São José que “guia o burrito que leva Maria (e o “fruto do ventre”)”, em Águeda, no sul da diocese, no espaço da paróquia “Maria, José e o Menino estão à vista de todos” e em Vagos, o último concelho a ser visitado, não há presépio mas pode-se ver “um grande anjo de luz” que “estava apagado”.

Jorge Pires Ferreira conclui que nos 10 concelhos há “muitas luzes, muitas árvores, todas artificiais, de luzes, algumas pistas de gelo, de plástico, e muitas estrelas” mas “ainda bem” que “uma delas pousou sobre a gruta”

O dossiê da mais recente edição do Semanário ECCLESIA, é dedicada ao Natal em todas as dioceses de Portugal e às suas muitas configurações de norte a sul, continente e ilhas.

CB

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR