Braga: Faleceu o padre Manuel Mendes Fernandes da Fonseca

Foto Arquidiocese de Braga

Braga, 21 ago 2019 (Ecclesia) – A Arquidiocese de Braga informou hoje acerca do falecimento do padre Manuel Mendes Fernandes da Fonseca, aos 86 anos, antigo capelão da Basílica de São Bento da Porta Aberta e Vigário Cooperador de Rio Caldo, em Terras de Bouro.

De acordo com um comunicado publicado online, a Missa exequial “será celebrada amanhã, quinta-feira, 22 de Agosto, às 17 horas, na paróquia de Real, em Braga”, indo depois o corpo do sacerdote “a sepultar em Travassós, Fafe”.

Na biografia apresentada pela Arquidiocese de Braga, é referido que o padre Manuel Mendes Fernandes da Fonseca nasceu a 28 de Julho de 1933, em Travassós, Fafe; e foi ordenado sacerdote a 10 de Julho de 1960.

Após a sua ordenação, e até ao ano de 1962, foi Capelão da Basílica de São Bento da Porta Aberta e Vigário Cooperador de Rio Caldo, Terras de Bouro; de 1962 a 1965 esteve na Póvoa de Lanhoso, assumindo a paroquialidade de Amparo e Galegos.

Nesse mesmo ano é nomeado pároco de Rio Caldo, Terras de Bouro, onde permanece por doze anos, e em 1977 assume a paroquialidade de Real, em Braga, até 1992.

A partir dessa data, o padre Manuel Mendes Fernandes da Fonseca passa a Administrador Paroquial de Panoias, função que acumula com a paroquialidade, esta até 2004.

É nesse ano que o sacerdote é nomeado pároco da Cividade, da Sé Primaz e de S. João do Souto, também em Braga, sendo que entre 2004 a 2005 desempenha também a missão de capelão das Servas de Jesus da Caridade.

Para além do serviço às paróquias, o padre Manuel Mendes Fernandes da Fonseca também leccionou diferentes disciplinas em várias instituições, como o Colégio D. Diogo de Sousa, o Seminário de Nª Sª da Conceição, as Escolas Secundárias de Amares, Vila Verde, Sá de Miranda, Fafe e Maximinos, chegando também a dar aulas em Lisboa.

A arquidiocese minhota destaca ainda o trabalho do padre Manuel enquanto articulista do Jornal Diário do Minho, como fundador do Jornal S. Bento da Porta Aberta e redactor e director do Jornal Realense.

“A Arquidiocese de Braga une-se agora em oração e agradece a Deus pelo seu ministério sacerdotal e pelo dom da sua vida. Paz à sua alma”, pode ler-se.

JCP

Partilhar:

Por: www.agencia.ecclesia.pt

COMPARTILHAR