Direitos Humanos: «Red Wednesday» lembra perseguições religiosas

Lisboa, 23 nov 2016 (Ecclesia) – A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) promove hoje a iniciativa ‘Red Wednesday’ (quarta-feira vermelha), um conjunto de iniciativas que visam evocar as perseguições religiosas no mundo.

“Como gesto simbólico a Catedral e a Abadia de Westminster estarão iluminadas de vermelho, tal como foi a estátua de Cristo Rei em Almada, a Fontana di Trevi em Roma ou a imagem de Cristo-Rei no Rio de Janeiro”, refere a AIS, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

No Reino Unido, esta ‘Red Wednesday’ é o dia da defesa da liberdade religiosa, uma iniciativa promovida pela AIS onde vão ser divulgados os dados do mais recente relatório este tema.

O documento, que foi apresentado em Portugal a 15 de novembro, denuncia as consequências do “hiperextremismo” islamita e das perseguições contra cristãos.

Orelatório analisa o período de junho de 2014 a junho de 2016, concluindo que, nestes dois anos, o mundo “viu surgir um novo fenómeno de violência com motivação religiosa, que pode ser descrita como hiperextremismo islamita, um processo de radicalização intensificada, sem precedentes na sua expressão violenta”.

A liberdade religiosa diminuiu em 11 dos 23 países com “piores infrações” a este direito; dos 38 países com violações mais significativas da liberdade religiosa, 55% permaneceram estáveis e apenas em 8% a situação melhorou.

OC

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR