Esta mulher é alérgica ao esposo. Mas eles não desistiram do casamento

Quando a fé em Deus não permite que o relacionamento seja colocado à prova

Em novembro passado, Johanna Watkins, uma jovem casada, recebeu a notícia sobre sua condição médica: ela é alérgica ao marido. A jovem de 29 anos, de Minnesot,a é casada com Scott, um professor de segundo grau, desde 2013. Johanna, que é severamente alérgica a uma infinidade de coisas – incluindo alimentos, sabão e temperos – sofreu algumas reações alérgicas quando namorava Scott. No entanto, foi apenas no ano passado que seus sintomas se agravaram significativamente e ela foi diagnosticada com síndrome de ativação de mastócitos, uma desordem do sistema imunológico, em que certos agentes desencadeantes (mudanças de temperatura, álcool, alimentos e no caso de Johanna, seu marido ) resultam em sintomas anafiláticos que podem levar à morte.

A BBC deu destaque à história de vida desse casal extraordinário. Ao longo doano passado, essa condição paralisante obrigou Johanna a viver isolada em um quarto do sótão da casa de um amigo – enquanto ela e o marido faziam mudanças significativas na casa onde iam morar, para acomodar as necessidades de Johanna. Absolutamente nenhum contato físico entre os dois foi possível, mas o jovem casal encontrou uma maneira de se comunicar: através de mensagens. Porém, esta não era a vida que as lindas fotos do casamento deles prometiam.

Apesar das circunstâncias incomuns, há uma certa beleza nesse relacionamento … e algumas lições de vida que não podem passar despercebidas …

Seja grato pela solenidade dos votos de casamento

Na maioria dos casos, quando somos alérgicas a alguma coisa, como um alimento ou um animal de estimação, a gente tenta evitar o desencadeador da alergia – e pronto! Mas e quando você é alérgica ao seu marido? Fica muito, muito mais complicado.

Imagino que algumas pessoas possam jogar a toalha e acabar com o relacionamento. Seria compreensivelmente tentador ceder ao pensamento de que, se houvesse um sinal para você não ficar com alguém, uma alergia potencialmente fatal ao seu amado seria o melhor. Mas não para Johanna e Scott; ambos levam seus votos de casamento muito a sério. E por isso, eles estão determinados a proporcionar conforto em um momento de dor, frustração e incerteza.

“No dia do casamento fizemos votos de vivermos juntos até que a morte nos separe. Não importa o que a vida nos trouxe”, explica Johanna, que também reitera: “Posso dizer que, mesmo que eu tenha isso até meus 90 anos, eu estaria comprometida com meu marido através dos votos e ainda o amaria”.

Johanna só pode comer 15 tipos de alimento, e suas refeições devem ser cuidadosamente preparadas. É Scott quem cozinha para Johanna após o trabalho. E ele diz: “É uma das únicas maneiras de cuidar dela”.

Os bons amigos e a família devem ser apreciados

Os Watkinses convivem com seus bons amigos, os Olsons, que estão arrecadando dinheiro para as alterações necessárias na residência do casal, devido à situação de Johanna. Mas, com a gravidade das alergias (os odores de alimentos de uma pizzaria a um quarteirão de distância podem atingir a casa onde dela se o vento soprar na direção errada, mesmo que ela esteja no quarto com a janela fechada), os Olsons deixaram de usar produtos perfumados e não cozinham mais em casa – já que seus alimentos preferidos poderiam desencadear uma reação em Johanna. E outros amigos também ajudaram a fazer comidas (sem cheiro) para ela.

Infelizmente, Johanna também é alérgica a seus pais. No entanto, ela consegue tolerar visitas de seus irmãos, desde que eles usem máscaras e se submetam a um certo protocolo antes de entrar no sótão, incluindo trocar de roupa, lavar as mãos e não comer alimentos fortes, entre outras coisas.  São as únicas pessoas com quem ela tem contato direto e, felizmente, seus irmãos estão mais do que felizes em se submeter ao rigor das medidas cautelares para visitá-la. Eles também permitiram que ela conhecesse suas jovens sobrinhas através de chamadas de vídeo.

Encontre gratidão nos momentos mais sombrios

Johanna e seu marido são pessoas extraordinárias; não há dúvida. E a fé que eles têm em Deus provavelmente tem muito a ver com isso. Considerando que ela não deixa o quarto do sótão há mais de um ano, sempre perguntam a Johanna como ela passa seus dias. Ela explica que, quando ela acorda, escuta uma lista de músicas animadas para colocá-la no ritmo certo todos os dias. “Tenho muitos presentes na minha vida, muitas bênçãos pelas quais eu tenho que agradecer e isso me faz lembrar que eu não posso ser egoísta”, diz ela.

Na sua página do gofundme.com, Johnana fala sobre os diferentes lugares onde ela e seu marido costumavam caminhar. Seus comentários sobre esses lugares especiais são muito indicativos de como Deus ajudou Johanna e seu marido em tempos tão angustiantes. Em uma visita ao Northern Meadow, ela explica: “Há quatro anos, nesta bela pradaria no alto da colina, nós fizemos a promessa de caminharmos juntos e nos amarmos,  sempre com Deus ao nosso lado”.

E talvez seja ainda mais significativa a viagem a Temperance, onde Johanna destacou: “Ao caminhar ao lado deste rio apressado, descobrimos uma entrada silenciosa e rezamos para que aprendêssemos o que significa permanecer quieto e confiar em Deus”. E espero que essa confiança em Deus permita que Johanna e Scott continuem sendo fortes. Esperamos que os médicos encontrem uma solução para este devoto casal, para que eles possam passar noites inteiras, um nos braços do outro.

Aleteia: vida plena com valor

COMPARTILHAR