Este rápido exercício irá ajudá-lo(a) a se tornar mais misericordioso(a)

Tudo o que você precisa é de uma foto sua de quando você era bebê (ou uma boa memória)

Nós somos mais propensos a perdoar os outros se pudermos perdoar a nós mesmos primeiro. Somos mais propensos a ser gentis com os outros se soubermos ser gentis conosco. Então, como podemos demonstrar misericórdia para nós mesmos, aceitar nossas limitações e nos perdoar?

Aqui está um exercício que você pode fazer hoje, agora. Isso cultiva misericórdia para si mesmo, para que você possa levar isso adiante para os outros. Era algo que costumava fazer regularmente com minhas aulas de inglês de primeiro ano da escola secundária.

Encontre uma foto sua de quando você era um bebê (se você não tem uma, imagine-se como um bebê) e observe-a atentamente. Olhe suas bochechas, seus olhos, suas mãos. Observe o quão adorável você era, quão pequenino(a) você era. Agora imagine que você foi colocado em uma cesta com uma mensagem: Por favor, cuide desta criança.


Stocksy

Em seguida, imagine-se como você é agora – um homem ou uma mulher adulta. Imagine-se abrindo a porta da sua casa atual e encontrando a cesta com este mesmo bebê dentro. Isso mesmo: você abre a porta para você mesmo como um bebê. O bebê está chorando e tremendo. O que você faz em seguida?

Imagine como você pode levantar a criança da cesta e abraçá-la, sussurrando palavras de consolo. Você pode alimentá-la, então beijar sua bochecha macia, acariciando os cabelos soltos. Você pode balançá-la carinhosamente e cantar até o pequenino corpo relaxar e os olhos fecharem, acalmando-se. Você faria tudo isso por aquela preciosa criança. E essa criança é justamente você.

Mantenha sua fotografia de quando você era bebê em algum lugar proeminente em sua casa nas próximas semanas, em algum lugar onde você irá encontrá-la novamente todos os dias, de preferência em algum lugar que você prepara seu dia. Pode ser a cabeceira da cama, então você pode vê-la já quando acorda. Talvez você possa colocá-la em seu banheiro e olhar esse rosto precioso enquanto prepara seu próprio rosto mais velho, mas ainda precioso. Talvez você possa manter a foto em seu carro, onde você a verá antes de partir para o trabalho, ou em uma bolsa ou carteira para surpreendê-lo no dia a dia ocupado.

Pergunte a si mesmo (e isso é algo que você deve fazer um diário): O que eu quero para essa criança? Quais são as minhas esperanças e sonhos para ela/ele? Que tipo de pessoa eu rezo para que esta criança seja? Eu tenho cuidado bem desta criança pequenina, respeitando seus sonhos, sua alegria? Eu a tenho amado com todo o meu coração? E a sua própria face mais velha? Está cansada, mas seus olhos ainda brilham. O que você acha que Deus vê quando Ele olha para você? O que você vê?

Você é chamado a amar a si mesmo com tanta ternura quanto um bebê merece, com misericórdia medidas. Perdoe-se do jeito que você perdoaria aquele bebê por cometer um erro. Veja a inocência, o potencial e a beleza que ainda existem dentro de você.

Meses depois de fazer este exercício com uma aula de inglês de primeiro ano, um dos meus alunos se aproximou de mim e disse que, como resultado desse exercício, ela reexaminou seus pensamentos depressivos de suicídio e, felizmente, escolheu buscar ajuda. Ele se sentia inútil, mas, ao amar o bebê que tinha sido, percebeu que ele ainda era a mesma pessoa, digna de vida. Ele queria aprender a se amar novamente, por causa da criança que tinha sido e da pessoa que deveria ser. Ele teve forças e foi para a reabilitação. Com aconselhamento e tratamento, tornou-se um jovem confiante, com sonhos e ambições esperançosos.

Experimente este exercício e você pode encontrar a misericórdia e assim pode praticar a misericórdia com os outros. Olhe para a sua imagem de quando você era pequenino(a). Reflita e escreva diariamente sobre as questões acima. Então, decida o que você quer para aquele filho(a) incomparável de Deus.

Aleteia: vida plena com valor

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR