Fátima: Igreja deve afastar «medo do mundo que muda» e ser «promotora de novidade» – D. José Ornelas

Fátima, 12 set 2016 (Ecclesia) – D. José Ornelas afirmou hoje no Santuário de Fátima que a Igreja Católica não deve ter “medo do mundo que muda tão radical e rapidamente” e disse que hoje “Deus está criando realidades novas”.

“Maria mãe da Igreja sugere-nos: Não tenham medo do mundo que muda tão radical e rapidamente. Deus e o seu Espírito estão constantemente a recriar a sua Igreja para que ela seja não apenas capaz de acompanhar mas que se faça promotora de novidade e de vida em cada época da história”, disse o bispo de Setúbal.

D. José Ornelas preside à peregrinação internacional aniversária de setembro ao Santuário de Fátima, entre hoje e terça-feira, que tem como tema ‘Alegremo-nos e façamos festa’, evocando a quinta aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria.

Na homilia da Missa na noite do dia 12, o bispo de Setúbal desafiou os peregrinos a não viverem apenas com saudades do passado”, como se Deus fosse uma peça de museu.

“Abram-se à força renovadora do Espírito e deixem-se guiar por Ele, que é mestre para ciar nova vida e nova esperança. Não fiquem simplesmente a ver passar procissões nas igrejas, mas tomem ativamente parte nesse percurso de vida que ela é”, sublinhou.

Para D. José Ornelas, os cristãos devem ser “portadores de vida” e não podem olhar “com indiferença para os milhões de refugiados e miseráveis” que ficam à margem das estradas da sociedade.

“O Espírito está soprando ventos novos para a Igreja”, sustentou o bispo de Setúbal.

“Que Maria do Sim, Maria da coragem, do caminho, da busca, guie a nossa Igreja por caminhos de fidelidade renovada e criativa, dê ânimo aos desencantados e nos torne ativos na construção de uma Igreja viva e renovada, que possa mostrar hoje ao mundo, a presença misericordiosa de Deus”, acrescentou D. José Ornelas.

Para o bispo de Setúbal, Maria é a “mulher da novidade, da mudança, que tem de passar de uma forma de fé a outra”, que “se deixa constantemente surpreender, se deixa guiar e proteger por Deus”.

“É a mãe e modelo da nossa Igreja, que não fica agarrada ao passado”, sublinhou.

“Juntos sentimos a urgência de pedir a Deus e de empenhar-nos seriamente na eliminação da guerra, da injustiça, da indiferença perante a miséria e os conflitos que afligem milhões de pessoas em todo o planeta”, sublinhou D. José Ornelas.

“Nesta vigília, junto de Maria, Mãe da Igreja, oremos por um mundo de justiça, de amor e de paz”, sugeriu o bispo de Setúbal.

A peregrinação internacional aniversária ao Santuário de Fátima, que celebra a quinta aparição de Nossa Senhora, termina esta terça-feira, 13 de setembro, com a Eucaristia , bênção dos doentes e procissão do adeus.

PR

Agencia Ecclesia

COMPARTILHAR