Graças a Deus! Iraque e Síria recomeçam a ter de volta o Natal!

Resta muitíssimo a fazer e refazer na região devastada pelos fanáticos do Estado Islâmico, mas a esperança brilha mais forte do que o medo

Duas boas notícias para a família dos cristãos no mundo inteiro: nossos irmãos nos martirizados Iraque e Síria estão finalmente voltando (aos poucos…) a viver o Natal livres da sombra devastadora dos fanáticos do Estado Islâmico.

Ainda resta muito, muitíssimo, a ser feito e refeito – e ainda existe risco de crimes terroristas. Mas a esperança está brilhando mais forte do que o medo.

Iraque

Dom Mikha Pola Maqdassi, bispo católico caldeu de Alqosh, presidiu em 8 de dezembro a missa de inauguração da igreja de São Jorge na aldeia de Teleskuf.

Trata-se da primeira igreja católica da Planície de Nínive reconstruída depois da expulsão dos sanguinários jihadistas do Estado Islâmico, em outubro de 2016. Concelebrou o pe. Salar Boudagh, sacerdote nascido em Teleskuf. Também participaram o arcebispo caldeu de Erbil, dom Bashar Warda, e o bispo sírio-ortodoxo de Mossul, mar Nicodemos Daoud Matti Sharaf.

Dom Warda declarou à Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS):

“O Estado Islâmico pretendia nos eliminar, mas ele desapareceu e nós voltamos para Teleskuf. A reabertura da igreja é e será um símbolo poderoso para todas as outras aldeias e nos fortalecerá nos esforços para reconstruí-las. Fiquei comovido, porque a igreja de São Jorge não só foi reaberta, mas reconstruída com mais beleza e mais glória do que antes. É assim a Providência de Deus”.

Segundo informações da AIS, os terroristas tinham danificado e saqueado a igreja de São Jorge. A reconstrução precisou arrecadar 100 mil euros, tarefa em que contou com a ajuda da organização francesa SOS Chrétiens d’Orient.

Dom Warda observou que “dois terços da população já voltaram [à Planície de Nínive] e era necessário um sinal claro de que a Igreja também reiniciou as suas atividades”.

Até novembro, cerca de 6.330 famílias retornaram à região. Antes da chegada do Estado Islâmico, em meados de 2014, só na aldeia de Teleskuf moravam cerca de 1.500 famílias.

Além dos projetos para reconstruir as casas cristãs danificadas pelos terroristas, a fundação pontifícia informou em declarações ao Grupo ACI que deseja colaborar com a restauração de uma igreja siro-católica e outra ortodoxa na região.


Síria

17 de dezembro de 2017: um cristão sírio decora o presépio de uma igreja dedicada a Nossa Senhora, a igreja Umm Al-Zennar, no bairro de Hamidiyeh, na cidade velha de Homs, a terceira maior da Síria, martirizada de modo brutal pelos fanáticos jihadistas.

No coração bombardeado da cidade, ergue-se hoje uma árvore de Natal – metálica, mas já é um símbolo de esperança cristã. Os residentes estão cheios de expectativa para celebrar o Nascimento de Jesus, o que, pela primeira vez em anos, poderão fazer com relativa paz neste dia 25.

A foto é de Youssef Karwashan para a AFP.

_______

Com informações da agência ACI Digital

Aleteia: vida plena com valor

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR