Igreja/Estado: D. Manuel Quintas é um homem do norte que já tanto fez pelo Algarve

Bispo diocesano recebeu Medalha de Ouro da cidade de Faro

O presidente da Câmara de Faro afirmou que o bispo do Algarve é “um homem do norte que já tanto fez pelo Algarve” e suas comunidades, na cerimónia em que D. Manuel Quintas recebeu a Medalha de Ouro da cidade.

“Merece o respeito de todos independentemente da fé de cada um”, disse Rogério Bacalhau do bispo diocesano no Dia do Município de Faro, na sessão solene na Universidade do Algarve. O jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que a distinção honorífica, a Medalha de Ouro da cidade, foi entregue ao bispo do Algarve pela vereadora Cristina Grilo.

Na abertura da sessão, o presidente da Assembleia Municipal realçou que “a cidade de Faro deve muito ao seu bispado” e destacou as “boas relações de comunhão” e “de interesses”.

“De Ossonoba aos dias de hoje, atravessámos o tempo da história sempre com o bispo do Algarve, a sua diocese e o seu bispado”, contextualizou Luís Graça.

Considerando que foi “uma justíssima homenagem”, o deputado algarvio Luís Graça salientou que D. Manuel Quintas “consagrou a sua vida aos outros”, no âmbito dos 50 anos de consagração religiosa que vai celebrar dia 29 deste mês.

Neste contexto, realçou a ação de D. Manuel Quintas na “procura de fazer o bem na vida do ser humano e de tocar o coração do outro”, ao nível espiritual, mas também do ponto de vista da solidariedade”. “Acho que todos nós, em Faro, revemo-nos no seu exemplo”, disse Luís Graça.

A cerimónia no Dia do Município de Faro teve como objetivo distinguir personalidades individuais ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, que “contribuam para o engrandecimento e dignificação do município e que se notabilizem pelo seu reconhecido mérito ou contributo para a comunidade ou que comportem notável destaque”.

Para além de D. Manuel Quintas, a Medalha de Ouro da cidade foi entregue ao poeta e ensaísta Gastão Cruz e à poetisa, dramaturga, investigadora literária e ensaísta Teresa Rita Lopes e na sessão solene realizada sábado, dia 7 de setembro, também foram agraciadas pessoas e organizações/instituições com medalhas de mérito municipal.

Antes realizou-se uma cerimónia junto ao quartel dos Bombeiros Sapadores com hastear das bandeiras e a aposição de insígnias aos bombeiros promovidos, informa o jornal ‘Folha do Domingo’.

No mesmo dia, a Câmara de Faro atribuiu o nome do falecido padre João Sustelo a uma praceta da cidade junto à igreja de São Luís, e o descerramento do topónimo contou com a presença e bênção do bispo do Algarve.

“Foi uma referência no seu tempo para a Igreja e para a diocese da altura, mas também a nível da sociedade do Algarve; certamente que tinha muito para dar ainda naquela idade e Faro e a Diocese do Algarve tinham muito para receber. Mas Deus tem os seus caminhos”, referiu D. Manuel Quintas que considerou a homenagem “mais do que merecida”, divulga o jornal diocesano.

COMPARTILHAR