Igreja: Perseguição aos cristãos «atinge uma dimensão nunca vista» – Fundação AIS

Lisboa, 12 out 2017 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) alertou hoje para a “violenta” perseguição contra os cristãos no mundo, apresentando o mais recente relatório sobre este tema.

“Nunca na História se verificou uma perseguição tão violenta contra um grupo religioso como nos tempos atuais”, refere um comunicado de imprensa da fundação pontifícia, enviado à Agência ECCLESIA.

Intitulado ‘Perseguidos e Esquecidos?’, o relatório analisa 13 países, concluindo que a situação dos cristãos se “deteriorou”.

“Isso significa que, em muitos lugares, é a própria sobrevivência do Cristianismo que está em causa”, adverte a AIS.

No Iraque, sublinha a fundação, “o êxodo dos Cristãos é tão grave que uma das Igrejas mais antigas do mundo está em vias de desaparecer no prazo de três anos”, uma situação que se repete na Síria.

A fundação pontifícia fala ainda em “ataques contra a comunidade cristã” realizados pelo próprio Estado, considerando ser esse o caso na China e na Coreia do Norte.

Outra situação destacada é a da Nigéria, onde o grupo terrorista ‘Boko Haram’, tem gerado “uma onda de violência imensa, provocando mais de 1,8 milhões de refugiados ou deslocados”.

O relatório “Perseguidos e Esquecidos?”, que compreende o período entre agosto de 2015 e julho de 2017, refere como exemplo a situação na Diocese de Kafanchan, na Nigéria, “que nos últimos cinco anos sofreu duramente o terror deste grupo islamita com o assassinato de 988 pessoas e a destruição de 71 aldeias – na sua maioria cristãs –, assim como mais de 20 igrejas”.

O relatório vai ser apresentado pelas 17h00, no auditório da Rádio Renascença (Quinta do Bom Pastor, Estrada da Buraca 8-12), por D. Nuno Brás, bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa.

OC

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR