Índia: Autoridades prenderam crianças cristãs que iam participar num campo de férias

Lisboa, 08 jun 2017 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) denunciou hoje que autoridades indianas prenderam “cerca de sete dezenas de crianças cristãs” quando se dirigiam para um campo de férias, na região de Madhya Pradesh no centro do país.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o secretariado português a AIS informa que as crianças e adolescentes, entre os 13 e os 15 anos, são “todas cristãs”; as autoridades “negam-lhes esse estatuto e clamam que se trata de uma tentativa ilegal de conversão”.

As “cerca de sete dezenas de crianças cristãs” foram detidas quando iam para um campo de férias, na última quinzena de maio, e depois foram libertadas e entregues às suas famílias.

O governo da região referiu que tanto as crianças como as famílias são “formalmente hindus”, apesar de se afirmarem cristãs.

Segundo o ministro do Interior no governo regional “para mudar para outra religião” qualquer pessoa tem de “apresentar um pedido por escrito” às autoridades locais e esperar pela aprovação para “mudar a identidade religiosa”.

“Isso não aconteceu neste caso, com nenhum dos pais que alegam ser cristãos”, acrescentou Bhupendra Singh, em declarações ao jornal ‘Indian Express’.

Para a fundação pontifícia ‘Ajuda à Igreja que Sofre’ o caso mostra como “é complexa” a situação dos cristãos na Índia, porque “apesar de o governo assegurar a liberdade de culto” a realidade “é muito diferente”.

CB

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR