Lisboa: Cardeal-patriarca e presidente da República defendem prioridade à habitação na ajuda aos sem-abrigo

Lisboa, 17 dez 2017 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa disse hoje à Agência ECCLESIA que a intervenção social junto das pessoas sem-abrigo exige uma “atenção adequada” à necessidade de fazer com que elas deixem as ruas.

“As pessoas que estão na rua não têm casa, o ideal seria conseguirmos conjugar a distribuição dos alimentos, de roupas, de tudo o mais que seja necessário, com alojamento”, referiu aos jornalistas D. Manuel Clemente, durante a edição 2017 da festa da Natal da Comunidade Vida e Paz, que decorreu na Cantina da Cidade Universitária, em Lisboa.

O também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa recordou que muita gente sai à rua “todos os dias, todas as noites” para distribuir alimentos, mas assinalou que seria desejável que as pessoas sem-abrigo fossem assistidas em “espaços onde se abriguem, realmente”.

A preocupação, acrescentou, é “dar uma resposta global”, para que a pessoa seja ao mesmo tempo “abrigada, alimentada, tratada” e a partir daí possa recuperar “o que eventualmente tenha perdido”

“Todas as boas vontades têm de se conjugar”, da sociedade civil ao Estado, defendeu o cardeal-patriarca.

D. Manuel Clemente reafirmou a confiança no Setor Social, que “tem de ser apoiado”, sem ser colocado em causa por “casos menos positivos” que possam acontecer.

Já Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República Portuguesa, sublinhou que a definição Plano de Ação para os sem-abrigo é um passo positivo, mas que agora é necessário “pôr no terreno o plano”.

“Temos de avançar na habitação, no apoio nas várias comunidades”, sustentou, nomeadamente em termos de alimentação, bem como “em termos de emprego e formação”

O chefe de Estado realçou que vai ser feito um levantamento do número total de sem-abrigo em Portugal, “porque não há números exatos”, entre janeiro e fevereiro

O presidente da República admitiu que o alojamento é a área mais complexa de ação, sobretudo em Lisboa e o Porto, onde os custos da habitação aumentaram significativamente.

Os participantes e promotores da festa da Comunidade Vida e Paz contaram hoje com a celebração da Missa, presidida por D. Manuel Clemente.

“Sejamos um sinal concreto, onde estivermos, com atuações como esta, que todos os dias a Comunidade Vida e Paz realiza, de que Cristo é verdade e é vida para as pessoas”, pediu o cardeal-patriarca, recordando a sua homilia nas declarações aos jornalistas.

Além de momentos de animação, com música e atividades lúdicas, e refeições, a festa da Comunidade Vida e Paz têm diversos espaços que se propõe ajudar os sem-abrigo em áreas como a saúde ou a higiene.

Durante os três dias de encontro, foram distribuídas 2891 peças de roupa.

PR/OC

Agencia Ecclesia

COMPARTILHAR