Natal: «Que todos sejamos cuidadores da paz» – Bispo de Setúbal

Setúbal, 18 dez 2017 (Ecclesia) – O bispo de Setúbal realça na sua mensagem de Natal o valor da Família que é “berço da vida, da ternura, e do cuidado para com os mais fracos” e desafia todos a serem “cuidadores da paz, feita de justiça, dignidade e solidariedade na diferença”.

“No luxo das famílias abastadas ou na perigosa miséria dos campos de refugiados, nenhuma criança sobreviveria e cresceria como pessoa, sem o carinho e o cuidado daqueles que a cercam”, escreve D. José Ornelas, no texto enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Aquele responsável católico aponta também a quadra natalícia como um tempo que “revela a prodigiosa força de Deus que vem cuidar da radical fragilidade humana”, visível na sociedade através dos “dramas da pobreza, da injustiça, do desamparo, da solidão e do desânimo”.

“A força, a grandeza e a nobreza não se revelam no dominar, humilhar e destruir, própria de predadores, mas no acarinhar, apoiar, levantar e construir que distingue os cuidadores”, salienta.

Na sua reflexão, o bispo sadino recorda as situações mais difíceis que atingiram este ano Portugal e o mundo, como a “catástrofe dos incêndios”, também “das guerras, atentados e tantas outras calamidades”.

“Muitos se moveram também solidariamente, para estar próximos dos mais atingidos, para cuidar dos que não podem bastar a si próprios em tais situações. Muitos outros incêndios de ódios, destruição, injustiça e indiferença ficaram por atender”, escreve D. José Ornelas, que apela a todos para que, neste Natal, saibam cuidar de quem mais precisa.

No país e na sociedade, estando atentos às “fragilidades e mágoas”, aos “sonhos e esperanças” que faltam cumprir.

Na Igreja, como “fermento a levedar”, incentivando “ao cuidado e ao amor de todos”, em todo o mundo.

Perante a Natureza, deste “maravilhoso planeta” que tem de ser preservado e respeitado “de modo que continue a ser a terra-mãe para todos os seus habitantes, hoje e no futuro”.

“Feridos por desastres naturais, guerras, fome e injustiças, o Pai de todos os humanos convida-nos a ser cuidadores da paz, feita de justiça, dignidade e solidariedade na diversidade, pois, aos seus olhos, nenhuma pessoa é estrangeira, mas irmão ou irmã”, frisa o bispo de Setúbal.

D. José Ornelas conclui a sua mensagem fazendo votos que todos a partir deste Natal se afirmem como “cuidadores da frágil lâmpada da vida, da felicidade e da paz”.

 JCP

Agencia Ecclesia

COMPARTILHAR