Necessidade de reflexão e resistência foi pauta na abertura da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos em Belém (PA)

Por: pt.aleteia.org

Por: revistaamazonia.com.br

Com os todos os assentos do Cine Líbero Luxardo ocupados, a Sessão com Debate que inaugurou a 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos ontem (15) mostrou que o tema tem mais relevância do que nunca. Após uma breve cerimônia e a exibição dos curtas “Nós” e “Do Outro Lado”, uma conversa entre o público e os debatedores Marco Antonio Moreira e Luanna Tomaz enriqueceu o primeiro dia do evento, que tem entrada gratuita e acontece até dia 21 no próprio Cine Líbero Luxardo.

Para Tati Maciel, Coordenadora Institucional da Mostra pelo Instituto Cultura em Movimento (ICEM) a Mostra vem para informar, provocar e gerar debate sobre dos temas que abrangem os Direitos Humanos. “Hoje vemos cada vez mais os direitos da pessoa humana serem violados. Quanto mais a gente se apropria de conhecimento sobre o tema, mais fácil fica combater essas violações. A Mostra já acontece há 12 anos e é cada vez mais fundamental na difusão desse tema”, disse.

Ela ainda acrescentou que o ICEM, produtor nacional da Mostra, acredita muito no cinema como ferramenta de educação e transformação. “O audiovisual tem o poder de levar as pessoas a outros lugares, viver experiências diferentes de seu cotidiano. Quando a gente vê filmes nacionais que mostram a diversidade da cultura brasileira, cria-se um laço com o espectador e isso influencia diretamente na vida dele”, aponta.

Para a debatedora Luanna Tomaz, que integra a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB, a Mostra é combustível na manutenção da relevância dos Direitos Humanos. “A falta de sensibilidade com relação à pauta dos Direitos Humanos é crescente, mas quem se importa com o tema não pode se fechar ou ficar com medo. É preciso manter a cabeça erguida para evitar o retrocesso na evolução que foi conquistada nas últimas décadas”, ressaltou.

O também debatedor Marco Antonio Moreira, que é presidente da Associação de Críticos de Cinema do Pará e professor do curso de Cinema da UFPA, ressalta o potencial de reflexão que a arte audiovisual tem para despertar novos pontos de vista. “A partir das narrativas dos filmes, o espectador pode refletir na sua própria vida sobre os temas abordados. Quando o cinema te mostra uma realidade completamente diferente da tua, ele te sensibiliza, tu passas a fazer parte disso também”, opina.

12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, que em 2018 completa 70 anos, é o tema da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos. O evento acontece no Cine Líbero Luxardo entre 15 a 21 de novembro com entrada gratuita.

Ao todo, serão exibidos 40 filmes, divididos em 4 mostras: Temática, Panorama, Mostrinha (dedicada ao público infanto-juvenil) e Homenagem, que celebra a carreira do ator e diretor Milton Gonçalves. A mostra é uma iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), com realização do Instituto Cultura em Movimento (ICEM) e em Belém conta com a produção local de AmpliCriativa.

Os filmes abordam as diversas temáticas dos Direitos Humanos como memória e verdade, questões de gênero, população negra, população indígena, população LGBT, imigrantes, direito das pessoas com deficiência, direito da criança, direito dos idosos, direito da mulher, direito à saúde, direito à educação, diversidade religiosa e meio ambiente.

Para permitir a acessibilidade, todas as sessões contam com closed caption, e em sessões selecionadas haverá áudio descrição e Libras. Os espaços onde ocorrem as exibições também possuem estrutura acessível para receber os diferentes públicos, além de contar com a programação em Braille para consulta.

Estamos com agenda aberta para entrevistas, seja pessoalmente ou por telefone. Qualquer demanda, estamos à disposição. 

 

SERVIÇO: 

 

Local: Cine Líbero Luxardo

Data: 15 a 21 de novembro 

COMPARTILHAR