Nossa Senhora do Carmo é festejada em Belém e Benevides

Na próxima terça-feira, 16 de julho, a Igreja celebra a memória de Nossa Senhora do Carmo, título da Virgem Maria que remonta o século XII, e tem origens no Monte Carmelo, Palestina, o início da Ordem dos Carmelitas. Hoje, a devoção está espalhada pelo mundo e, em Belém e Benevides, programações festejam esta presença de Maria com o título também unido ao símbolo do escapulário.

Benevides

Em Benevides a programação iniciou na quinta-feira, 11, às 5h30, com procissão no Convento das religiosas carmelitas e Santa Missa às 6h20 na Comunidade do Centro. Nesta sexta, 12, haverá procissão do Convento em direção à Igreja Matriz com celebração eucarística na chegada, prevista para às 19h.

A proposta do tema “Com Nossa Senhora do Carmo, vamos evangelizar” está em  sintonia com o escolhido para a celebração dos 300 anos de fundação da diocese de Belém, explica Padre André Heijligers em mensagem à comunidade: Deste modo queremos expressar nossa total adesão ao projeto de evangelização que a Arquidiocese está vivendo e queremos de fato ser uma “igreja em saída”, isto é, uma paróquia que não se limita a uma “pastoral de conservação” mas que se torna uma “rede de comunidades” onde o “protagonismo dos leigos” é valorizado.”

Sábado, 13, haverá missa na Matriz para saída da Trasladação para Canutama, às 19h, e no domingo, 14, missa de abertura do Círio, às 7h30, em Canutama, e, logo após, saída da procissão em direção à Matriz com nova celebração à chegada, prevista para 11h30. Ao meio-dia, será servido o almoço do Círio no salão e atração cultural do grupo Para Folclórico Vaiangá.

Na terça, 16, feriado municipal e dia de Nossa Senhora do Carmo, haverá o tradicional Círio das Crianças com saída do Carmelo às 8h e chegada na Matriz. Na quarta-feira, 17, às 9h, Missa dos Enfermos e dos Idosos. À noite, programação de responsabilidade das famílias benevidenses e atração de Lucinha Bastos.

Igreja do Carmo

Em Belém, na Cidade Velha, a Igreja de Nossa Senhora do Carmo promove Tríduo festivo com o tema “Com Maria, o Carmo faz parte dessa história”, também em sintonia com a proposta das comemorações do tricentenário de fundação. Iniciando no sábado, 13, o festejo nos dias seguintes até 15 de julho, contará com Santa Missa às 18h e programação cultural. No dia da abertura, Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém, preside a celebração.

Na terça-feira, 16, haverá celebrações às 7h, 12h e 18h, presididas, respectivamente, pelo Padre Daniel Cunha, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano e o Cônego Roberto Cavalli Júnior, Cura da Sé. Ainda neste mesmo dia, data da festa litúrgica da padroeira, haverá procissão às 17h, com saída da Catedral rumo à Igreja do Carmo.

Nossa Senhora do Carmo

Nossa Senhora do Monte Carmelo ou Nossa Senhora do Carmo é o título dado à Maria em honra de sua função como padroeira da Ordem Carmelita. Os primeiros carmelitas eram eremitas que viviam no Monte Carmelo, na Terra Santa, entre o final do século XII e meados do século XIII. Desde o século XV, a devoção popular a Nossa Senhora do Carmo está centrada em seu escapulário, também conhecido como escapulário marrom, um sacramental associado às promessas de ajuda feitas por Maria para a salvação do devoto portador. Segundo a tradição, Maria entregou o escapulário a um carmelita chamado Simão Stock.

A festa litúrgica de Nossa Senhora do Carmo foi celebrada, pela primeira vez, na Inglaterra, no final do século XIV. O objetivo era agradecer a Maria pelos benefícios concedidos nos tempos de dificuldades dos primeiros anos da Ordem do Carmo. O dia escolhida foi 17 de julho, entretanto, no continente europeu esta data conflitava com a festa de Aleixo de Roma, o que exigiu uma mudança para o dia 16 de julho, que continua a ser, até hoje, a data da festa de Nossa Senhora do Carmo em toda a Igreja.

COMPARTILHAR