Óbito/Porto: O «calor dos olhos» de D. António Francisco Santos espalhava ternura – Artur Santos Silva

730x250

Porto, 12 set 2017 (Ecclesia) – O jurista Artur Santos Silva realçou as “qualidades extraordinárias” de D. António Francisco Santos, falecido esta segunda-feira, no Porto, que “rapidamente conquistou as pessoas e a cidade”.

O antigo presidente da Fundação Gulbenkian disse também que o “calor dos olhos” de D. António Francisco Santos “espalhava a sua ternura, alegria e sua esperança no futuro”, frisou à Agência ECCLESIA.

Através da “tolerância, palavra sábia e exemplo”, o bispo do Porto “não esperava que os problemas fossem ter com ele” porque ele ia “ter com as pessoas e com os problemas delas”, afirmou.

D. António Francisco Santos foi um bispo “ao estilo do Papa Francisco que demonstra que a Igreja deve ser simples e austera”, acrescentou.

O falecido bispo era natural de Tendais, no Concelho de Cinfães (Diocese de Lamego) e foi ordenado padre em dezembro de 1972.

D. António Francisco dos Santos foi nomeado bispo do Porto em fevereiro de 2014, sucedendo a D. Manuel Clemente, e tomou posse a 5 de abril do mesmo ano.

O corpo do bispo do Porto está em câmara ardente e as exéquias solenes celebram-se no dia 13 de setembro, às 15h00, na Catedral do Porto.

PR/LFS

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR