ONU: Vaticano saúda plano de ação com líderes religiosos para prevenir incitamento à violência

730x250

Cidade do Vaticano, 15 jul 2017 (Ecclesia) – A Santa Sé avaliou de forma positiva o novo plano da ONU para os líderes religiosos, que visa a prevenção do incitamento à violência e os crimes em massa.

“O papel e o trabalho dos líderes religiosos e dos crentes, em geral, e do diálogo inter-religioso, em particular, são cruciais não só para prevenir o incitamento à violência religiosa mas também para criar sociedades pacíficas e inclusive onde os crimes de atrocidades sejam eticamente inaceitáveis”, assinalou o observador permanente da Santa Sé na ONU, D. Bernardito Auza.

O responsável sublinhou que a “responsabilidade primária” de proteger as populações de tais crimes compete aos Estados e à comunidade internacional.

O novo plano de ação, fruto de três anos de trabalho e consultas a nível global, contém uma série de recomendações detalhadas para governos, organizações da sociedade civil e media para que todos tomem consciência do seu papel na prevenção do genocídio, crimes de guerra e limpeza étnica.

D. Bernardito Auza referiu em Nova Iorque que o plano das Nações Unidos representa “um passo em frente” para a promoção de uma cultura e de uma sociedade mais pacífica, evocando a intervenção do Papa Francisco durante a conferência internacional pela paz promovida pelo centro de Al-Azhar, no Cairo.

“A religião não é o problema, mas parte da solução”, recordou.

A ONU apresentou esta sexta-feira um plano de ação para que os líderes religiosos de todo o mundo evitem e combatam o incitamento à violência.

“A voz, a autoridade e o exemplo dos líderes religiosos são fundamentais”, referiu o secretário-geral da ONU, António Guterres, na apresentação do documento.

O ‘Plano de Ação de Fez’ recorda a cidade marroquina onde se iniciaram as consultas em 2015.

OC

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR