Papa pede paz em Jerusalém e reza por solução ‘com dois Estados’

Em sua mensagem proferida diante de 50.000 fiéis na Praça São Pedro, o papa Francisco alertou contra “os ventos da guerra”

O papa Francisco pediu nesta segunda-feira (25) “paz para Jerusalém e toda a Terra Santa” e rezar para alcançar “uma solução negociada que permita a coexistência pacífica de dois Estados” em sua tradicional mensagem Urbi et Orbi de Natal.

Do balcão da basílica de São Pedro, o papa declarou que “neste dia da festa, invocamos o Senhor pedindo paz para Jerusalém e para toda a Terra Santa”.

Em sua mensagem proferida diante de 50.000 fiéis na Praça São Pedro, o papa Francisco alertou contra “os ventos da guerra” e um “modelo de desenvolvimento caduco que segue provocando degradação humana, social e ambiental”.

Ele evocou as crianças sírias “marcadas pela guerra”, dizendo esperar que a Síria “encontre a dignidade de cada pessoa”, comprometendo-se a “restabelecer o tecido social independentemente do pertencimento étnico e religioso”.

Francisco falou do Iraque, “ainda ferido e dividido pelas hostilidades”, e do Iêmen, “onde acontece um conflito em grande parte esquecido”, enquanto a população sofre com a fome e doenças.

“Vemos Jesus em todas as crianças das regiões do mundo onde a paz e a segurança são ameaçadas pelo perigo das tensões e de novos conflitos”, disse o papa, antes de se referir à situação na Venezuela, onde pediu um “diálogo sereno”.

“Confiamos a Venezuela ao Menino Jesus para que possa retomar o diálogo entre os diversos componentes sociais pelo bem de todo o querido povo venezuelano”, ressaltou.

Também fez um apelo “à confiança recíproca” na península coreana, dizendo rezar “para que as divergências possam ser superadas”.

No domingo, a Coreia do Norte chamou de “ato de guerra” as novas sanções adotadas pelo Conselho de Segurança da ONU, reafirmando que elas não vão dissuadir o governo de continuar com seus programas nuclear e balístico.

(AFP)

Aleteia: vida plena com valor

COMPARTILHAR