Portugal: «Dispensaria» este Natal – Marcelo Rebelo de Sousa

Lisboa, 21 dez 2017 (Ecclesia) – O presidente da República disse à Agência ECCLESIA que “dispensaria” este Natal, que vai passar em Pedrógão Grande, onde a partilha da “alegria e tristeza” com quem vive as consequências de uma tragédia “dá uma força enorme ao Natal”.

“Teria preferido que que fosse um Natal diferente para aqueles que perderam familiares, que tiveram um choque na vida brutal e ainda o estão interiorizar”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

“O ideal seria que a tragédia não tivesse chegado lá e as cento e tal pessoas que partiram prematuramente estivessem a viver”, referiu.

Para o presidente da República, este Natal é feito de “algumas alegrias”, nomeadamente o facto de Portugal ter saído “um pouco mais da crise”, melhorando a “situação de bastantes pessoas em relação a natais anteriores, que foram particularmente penosos”, e de “grandes tragédias”.

“Tudo aconteceu nuns casos há seis meses e noutros casos há dois meses, o que é ontem. Por isso, esta partilha, no que tem de alegria e tristeza e sempre de solidariedade, dá uma força enorme ao Natal, porque além de ser a família é a solidariedade do todo que formamos em Portugal”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente da República vai passar o Natal em Pedrógão Grande e o ano novo com as vítimas dos incêndios que deflagraram em outubro, de onde dirige a mensagem ao país no primeiro dia do ano.

O meu Natal, este ano, é um Natal que, por um lado, vai encher muito o meu coração, mas por outro dispensaria ter de estar lá, porque era sinal que não tinha havido a tragédia”, sublinhou.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que o Natal é também de reencontro com a família, emigrada, o que também é “muito português” e dá um sabor muito especial a este Natal”.

O presidente da República lembrou a “festa da família” que acontece em cada Natal, para muitas uma “festa religiosa”, e também o momento de, “no encontro da família”, partilhar o “balanço de um ano, nas alegrias e nas tristezas”.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, Marcelo Rebelo de Sousa referiu também que o “Natal é apelo à paz”, que considera um “problema sobretudo de educação e de cultura”.

“Não é uma luta só dos presidentes, dos primeiros-ministros, dos governos, mas uma luta dos povos. É por aí que começa. Por isso, eu digo que é um problema sobretudo de educação e de cultura”, insistiu.

A entrevista do presidente da República é publicada na edição de hoje do Semanário digital Ecclesia, onde se apresentam histórias de tradições e acontecimentos natalícios em todas as dioceses de Portugal.

PR

Agencia Ecclesia

COMPARTILHAR