Publicações: 800 páginas para traçar retrato do «Portugal Católico» hoje

Lisboa, 17 mai 2017 (Ecclesia) – A nova obra ‘Portugal Católico – A beleza na diversidade’ apresenta-se como uma enciclopédia que retrata o catolicismo no país contemporâneo, em 14 capítulos e 800 páginas, com diversos temas e autores.

“Esta obra é ao mesmo tempo uma indagação e uma resposta. Uma resposta tanto testemunhal como de reflexão, de questionação, de documentação sobre o que tem maior vitalidade na vivência comunitária do catolicismo mas também aquilo que parece ter sinais de alguma debilitação”, disse à Agência ECCLESIA José Carlos Seabra Pereira, um dos responsáveis pela publicação.

O diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, da Igreja Católica, explica que a obra dedicada ao catolicismo no “Portugal contemporâneo” foi feita “sempre” no espírito que está “refletido” no subtítulo, «a beleza na diversidade».

“Há um jogo de perspetivas que torna esta obra única e marcante mesmo do ponto de vista histórico. Não é prova de vida do catolicismo, também não é trincheira que se abre, o espírito é totalmente o contrário, não delimita um território, não envolve tendências restauracionistas, complexos”, desenvolveu o professor universitário.

O livro ‘Portugal Católico’ foi elaborado em cerca de sete meses e conta com o apoio da Conferência Episcopal Portuguesa: 204 textos-síntese, de 190 autores, com uma “forte componente imagética”, fotos (aéreas e terrestres), gravuras, e poemas de diversos autores portugueses.

O historiador José Eduardo Franco explica que participam “autores de vários quadrantes” e gerações, dos 20 aos 90 anos, na elaboração da obra que foi concebida para assinalar a passagem do Papa Francisco por Portugal.

“Essa diversidade de colaboradores quanto às gerações se completa pelo facto de que muitos manifestam sensibilidade espirituais, até formações culturais, experiências profissionais e existenciais muito diversificadas”, realçou, por sua vez, José Carlos Seabra Pereira.

A publicação tem 14 capítulos que, simbolicamente, representam as 14 estações da Via-Sacra e as 14 Obras de Misericórdia.

Segundo José Eduardo Franco, a nova obra “dá ideia de enciclopédia do catolicismo contemporâneo” que apresenta também uma visão de enquadramento que “une a história e lança luz” sobre o presente.

“Vai desde a realidade das paróquias, passando pelo perfil do clero, até à solidariedade integral, a assistência, a educação. Começando pela força dos fundamentos termina com as sementes do futuro: As dinâmicas, jovens, a catequeses, os seminários, novas experiências pastorais, novas metodologias”, desenvolveu o também responsável editorial, sobre o que considera a “capela sistina” da edição portuguesa

O prefácio é da autoria do presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa; o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, escreveu um prelúdio; há também um limiar do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres.

José Eduardo Franco informa que está prevista uma edição de prestígio, numerada, de ‘Portugal Católico – A beleza na diversidade’ em novembro, e, para a Páscoa de 2018, uma edição para o grande público, para além de “uma versão infanto-juvenil, um documentário sintético sobre o catolicismo em Portugal” e uma página na internet.

HM/CB/OC

Agencia Ecclesia

v01_ELETRONORTE_SUPERBANNER_CIRIODENAZARE_728X90PX (1)
COMPARTILHAR