Vaticano: Papa defende «revolução» do Evangelho para levar paz à Colômbia

730x250

Cidade do Vaticano, 12 set 2017 (Ecclesia) – O Papa Francisco defendeu hoje uma “revolução” do Evangelho para levar a paz à Colômbia, onde esteve até domingo, procurando promover a paz e o perdão, após 52 anos de guerra.

“A verdadeira revolução, a do Evangelho, não ideológica, liberta verdadeiramente as pessoas e as sociedades das escravaturas de ontem e, infelizmente, as de hoje”, disse, durante a audiência pública semanal, no Vaticano.

Perante milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, o Papa apresentou uma síntese da sua recente viagem de cinco dias à Colômbia, para apoiar o “processo de reconciliação”.

Após a “tragédia da guerra”, Francisco convidou todos a dar o “primeiro passo” ao encontro do outro, precisando esta manhã que isso significa “aproximar-se, debruçar-se, tocar a carne do irmão ferido e abandonado”.

“Com a minha visita quis abençoar o esforço deste povo, confirmá-lo na fé e na esperança e receber o seu testemunho, que é uma riqueza para o meu ministério e para toda a Igreja”, prosseguiu.

O Papa sublinhou as “raízes cristãs” da sociedade colombiana e disse ter querido levar a “bênção de Cristo” ao desejo de “vida e de paz” que existe no país sul-americano.

A intervenção passou em revista as várias intervenções em Bogotá, Villavicêncio, Medellín e Cartagena, recordando em particular a jornada nacional de oração pela reconciliação e a beatificação de dois mártires colombianos, para mostrar que “a paz se funda, acima de tudo, no sangue das testemunhas do amor, da verdade, da justiça e da fé”.

Francisco elogiou todos os que “saíram de si próprios e se abriram ao encontro, ao perdão e à reconciliação” e os que deram a sua vida pelos mais pobres e marginalizados.

“Com a ajuda de Maria, que cada colombiano possa dar todos os dias o primeiro passo em direção ao irmão e à irmã, construindo assim juntos, dia a dia, a paz no amor, na justiça e na verdade”, concluiu.

Após a catequese, o Papa deixou uma saudação aos vários grupos de peregrinos, incluindo os grupos do Brasil e de Portugal.

“Faço votos de que esta romagem possa reforçar em vós a fé em Jesus Cristo, que nos chama a dar o primeiro passo na direção dos nossos irmãos e irmãs necessitados. Regressai a casa certos de que, quando somos generosos, nunca faltam as bênçãos de Deus. Obrigado pelas vossas orações”, declarou.

O Papa Francisco mostrava ainda, junto ao olho esquerdo, os sinais do pequeno incidente que ocorreu na Colômbia, por causa de uma travagem brusca do papamóvel.

OC

Agencia Ecclesia

COMPARTILHAR